Comunicação > Paralisação ontem contou com adesão maciça nas unidades da SEF/MG em todo o Estado

divisoria2

 

Voltar

Protestos prosseguem hoje até que pagamento seja efetuado

25/08/2017 - Nº 265

O dia ontem (24) foi de protestos nas unidades fazendárias em todo o Estado. Indignados com mais um atraso no pagamento das parcelas dos salários - a segunda parcela deveria ter sido depositada no dia 23/8 - os servidores da SEF/MG paralisaram novamente suas atividades. Em Belo Horizonte, auditores fiscais, gestores, técnicos e analistas fazendários se reuniram em frente ao prédio da SEF/MG na Rua da Bahia para protestar contra o tratamento dispensado pelo governo às categorias da Fazenda. Em algumas unidades do interior, houve concentração do lado de fora das repartições. Em muitos locais, os servidores também fizeram questão de se dirigir aos gabinetes dos respectivos superintendentes para manifestar sua revolta com a situação.

Hoje, sexta-feira (25), os servidores continuam paralisados até que seja efetuado o pagamento. Em Belo Horizonte, servidores das quatro categorias e dirigentes sindicais já estão concentrados em frente ao prédio da Rua da Bahia. A expectativa é de que mais colegas se juntem ao grupo durante todo o dia em protesto contra o atraso.

O ato público organizado pelos sindicatos da SEF/MG mobilizou grande número de servidores e atraiu a atenção da imprensa, sendo noticiado por emissoras de TV, rádio, portais e jornais impressos. Os manifestantes lotaram a calçada em frente ao prédio da Fazenda para ouvir os dirigentes sindicais. O sentimento geral era de revolta com mais um atraso de salário e com o fato de as categorias da Fazenda continuarem sendo preteridas nas decisões do governo (Ontem vazou a informação de que a PM havia recebido as duas últimas parcelas ao mesmo tempo, confirmando, então, o tratamento diferenciado entre as categorias de servidores).

Em fala dirigida aos manifestantes e às demais pessoas que passavam pelo local, o presidente do Sindifisco-MG, Lindolfo de Castro, repudiou a postura do governo e acentuou o transtorno causado aos servidores pelo atraso dos salários. Ele criticou a discriminação com algumas categorias: "O governo está pagando uns e deixando outros; o que ele prometeu para essas categorias é fruto do trabalho dos servidores da Fazenda, então é um absurdo o que ele vem fazendo conosco", ressaltou. O dirigente sindical também fez um relato da sua visita recente às unidades do Sul de Minas e reforçou a importância da adesão e participação de todos os servidores às paralisações programadas pelos sindicatos.

O presidente do Sindifisco-MG fez, ainda, um apelo indignado aos comissionados da SEF/MG, para que se unam aos demais servidores e, a exemplo do que ocorreu na PM, pressionem o alto escalão do governo para que honre o compromisso com os servidores da Fazenda. "Cargo de recrutamento restrito é conquista das categorias para garantir a continuidade do serviço público e evitar a interferência do poder econômico, não para funcionar como escudo entre as categorias e o governo. É preciso lembrar que o cargo é provisório, então o compromisso dos comissionados tem que ser, antes de tudo, com as categorias às quais pertencem", frisou.

BH

Ontem, os auditores fiscais da DFT BH paralisaram as atividades e se juntaram aos demais colegas no protesto realizado à tarde na Rua da Bahia. A paralisação está mantida hoje na unidade; pela manhã, os auditores se reuniram do lado de fora da repartição e, à tarde, seguem novamente para a Rua da Bahia. As DFs BH 3 e BH 4 se reuniram com o superintendente regional durante a manhã, conforme o Sindifisco-MG divulgou anteriormente. As demais unidades da capital localizadas na rua da Bahia também paralisaram as atividades.  

Repercussão na imprensa 

Diversos veículos repercutiram o protesto dos servidores, entre eles TV Globo Minas, jornal O Tempo (versões impressa e online), portal G1, Rádio Itatiaia, Rádio CBN e Rádio Super.

TV Globo Minas

Jornal O Tempo

Portal O Tempo

Portal G1

Rádio Itatiaia 25/8

Rádio Itatiaia 24/8

Portal O Tempo 23/8

Unidades do interior

O dia ontem foi de protesto também nas unidades do interior do Estado, com adesão maciça de auditores fiscais, gestores, técnicos e analistas fazendários à paralisação orientada pelas entidades sindicais. Em algumas unidades, os servidores se concentraram do lado de fora das repartições com o objetivo de chamar atenção da sociedade para o problema enfrentado pelas categorias da Fazenda.

Em Uberlândia, ontem e hoje, houve adesão de 100% dos servidores das quatro categorias da Fazenda.

Em Uberaba, os servidores se reuniram ontem pela manhã com o superintendente cobrando o pagamento dos salários. A paralisação se estendeu durante todo o dia. O protesto prossegue hoje na unidade, com concentração dos servidores na parte externa da repartição.

Ontem em Teófilo Otoni e Pirapora a paralisação também foi de 100% dos servidores. Em Montes Claros, a Inter TV Grande Minas (afiliada da Rede Globo) noticiou o atraso dos salários e o protesto dos servidores.

Em Juiz de Fora, a paralisação é geral mobilizando auditores e gestores, sem atendimento ao público. Ontem e hoje AFREs e GEFAZ se revezaram na concentração do lado de fora da repartição, a fim de esclarecer os contribuintes que chegam ao local e informar da paralisação.

divisoria